A cidade não se faz só de ruas, anúncios, sinais, esquinas e muros, é também um espaço de memória e convívio. Existe uma arquitetura sentimental, uma cartografia urbana subjetiva marcada no concreto e oculta na velocidade. Essa arquitetura invisível é feita de relações; a cidade é um espaço compartilhado com o outro. No entanto, o espaço público é um lugar em constante ameaça, se entendemos público como esse conjunto de redes de participação e autonomia que contornam o território “de todos”, na diversidade dos seus aspectos sensíveis. Cidade Proibida propõe a realização de intervenções cênicas em locais públicos que tornam-se proibidos durante a noite, perante a ameaça potencial de violência. Em uma composição afetiva com a cidade, propomos o diálogo com estes espaços através de ações artísticas.

A cidade se faz tema e cenário, o encontro se faz motivo e linguagem. As intervenções são realizadas no horário noturno em lugares significativos na arquitetura sentimental da cidade, mas que recebem essa proibição invisível durante a noite. Inspirado em formas de convívio como saraus, serenatas, cabarés artísticos, piqueniques e ceias noturnas, o evento compõe uma estrutura de encontro cênico que inclui música, circo, dança, teatro. Cada intervenção-espetáculo tem a duração aproximada de 70 minutos. Reúne números individuais e coletivos dos artistas envolvidos, que integram diferentes núcleos de criação de Porto Alegre além da Cia Rústica, reforçando o conceito de convívio no qual o projeto se sustenta. Convívio entre artistas, entre ideias e sensações, entre artistas e público, entre as pessoas e a cidade, inserindo a arte no tecido do mundo.

Cidade Proibida foi contemplado com o Prêmio Funarte Artes Cênicas na Rua 2012. Estreou em novembro de 2013 no Parque da Redenção em Porto Alegre. Prêmio Braskem em Cena (Festival Porto Alegre Em Cena) 2015 de Melhor Espetáculo Júri Popular. Realizou diversas apresentações pelo SESC São Paulo, incluindo o Circuito SESC de Artes. Participou do III Encontro Cidades e Universidades.

 

Criação geral, figurinos e trilha sonora criada ou pesquisada: a equipe. Direção e composição dramatúrgica: Patrícia Fagundes. Elenco: Ander Belotto, Camila Falcão, Di Nardi, Gabriela Chultz, Heinz Limaverde, Laura Backes, Lisandro Bellotto, Mirna Spritzer, Priscilla Colombi, Roberta Alfaya, Rodrigo Shalako, Suzi Weber. Realização e Coordenação Geral: Cia Rústica. Direção de Produção: Patrícia Fagundes. Cenotécnica: Rodrigo Shalako. Assistência de Produção: André Varela, Di Nardi e Rodrigo Shalako. Fotos: Adriana Marchiori. Registro em vídeo: Maurício Casiragui. Criação Gráfica: André Varela. Produção Local: Paula Giusto (Caxias do Sul), Cris Villar (Florianópolis), Débora Allemand (Pelotas). Coordenação de Assessoria de Imprensa: Léo Sant’anna. Assessoria de Imprensa Local: Carlinhos Santos (Caxias do Sul), Letícia Bombo (Florianópolis), Fernanda Puccineli (Pelotas).

 

Confira fotos das apresentações do circuito>

 

CAXIAS DO SUL, no dia 11 de março de 2018, a primeira do circuito:

Fotografia: Maurício Concatto

 

FLORIANÓPOLIS, no dia 17 de março de 2018, a segunda do circuito:

 

 

Fotos: Cristiano Prim

 

PELOTAS, no dia 11 de abril de 2018, a última cidade:

 

Fotos: Janine Tomberg

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *